sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

A angústia do candidato no momento de declarar desonestidade


Se, de facto, Cavaco conseguiu um lucro de 140% com ações que nem sequer estavam cotadas na bolsa, pode ser o homem certo para ocupar o mais alto cargo do País. Basta que gira o orçamento de Portugal como soube gerir o seu. Por azar, Oliveira e Costa está preso, o que impede o País de comprar a uma sociedade gerida por si ações a um euro e vendê-las a 2,4. No espaço de dois anos, seríamos a Noruega da Península Ibérica.

A angústia do candidato no momento de declarar desonestidade, por Ricardo Araújo Pereira

Sem comentários: