quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Grande Braga!

Há que tirar o chapéu ao Braga, que com uma equipa comprada nos saldos conseguiu despachar ontem os espanhóis do sevilha com uma pintarola! :)
Sabe sempre bem ver como com talento, esforço e dedicação consegue-se atingir os objectivos, mais do que com os rios de dinheiro que benfica, sporting e porto enterram nos seus plantéis.

Tiro o chapéu principalmente ao Domingos, que resistiu á tentação de ir beijar o anel ao pinto da costa e permaneceu no projecto que ele próprio tinha criado. É extremamente gratificante ver o Braga a jogar, e espero sinceramente que cheguem muito longe na liga dos campeões, e não me importo muito que ganhem o campeonato, sou franco.

E ficou um gostinho doçe na boca de ter sido contra o sevilha. Andavam os espanhóis a dar olés de contentes a achar que iam ser feijões contados, e pimba: apanharam uma lição de bola para contarem aos netos, por muitos anos que vão vir.

Confesso que gosto de ler a imprensa desportiva espanhola depois de qualquer derrota contra equipas portuguesas. É algo que não lhes desce muito bem no estómago e que confesso - dá me algum gozo. É como ir ler o jornal "O Jogo" depois de uma derrota do porto - tresanda a azia e a mau perder.
Portanto, é óbvio que fui ler o "A Marca" online para ver o que os espanholitos tinham achado do banho de bola, e eis que leio:
"Que te meta cuatro goles el 'SuperrequeteBarça' en el Camp Nou es una cosa, por mucho que uno claudique en el túnel de vestuarios, pero que te vengan unos brasileños disfrazados de portugueses y te enseñen, uno por uno, los fundamentos de este deporte, es cosa seria."
Não contendo a gargalhada, descobri que os nossos vizinhos ainda estão em fase de negação, e talvez ao mascararem o Braga de "brasileiros disfarçados de portugueses" consigam suavizar a azia. Por hoje acalme-se a nação espanhola, haviam brasileiros sim, nós deixamo-vos pensar isso se isso vos deixa menos frustrados. Não se preocupem, o luto tem 5 fases e a última é a Aceitação.

Quanto á nóssa própria imprensa, a grande generalidade se mostrou orgulhosa do feito e deu-lhe amplo destaque, principalmente a imprensa desportiva. Triste foi ver que que o jornal "Record" na sua edição de hoje, não soube dar o mérito devido ao Braga, e colocou em destaque um tipo qualquer que supostamente interessa ao benfica... muito triste, meus senhores, muito triste.

E mainada! Vivó Braga!!! :)

PS- espero que com os milhõezinhos que vão receber agora da uefa, comprem um lateral esquerdo como deve de ser. Aquele que vocês têm lá mete medo!

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Ser "emigrante"


Acho que ao fim de 15 anos a andar para cá e para lá a toda a hora e a morar em todo o lado menos em casa começa a fazer mossa. É muito giro estar sempre a conhecer sítios diferentes e pessoas diferentes... mas de repente chegas á conclusão de que não pertences realmente a nenhum sítio senão ali. Os teus amigos de sempre, a tia que te faz bolos sempre que vais lá a casa e que tem o sofá mais confortável do mundo que faz com que adormeças 2 minutos depois de tentares ver televisão, os amigos de escola com que te cruzas na rua e te cumprimentam, e todas as pessoas que vês na rua, que falam como tu, que têm a mesma base cultural. Ser madeirense não algo que se adquire, algo que nasce contigo, o resultado da simbiose de ti com a tua terra, que te dá a certeza absoluta de que não há nada mais bonito do que a tua ilha. Posso andar pelo mundo todo (e já tenho a minha quota parte de km's percorridos), mas ao saír do avião a brisa que paira no ar, o cheiro da minha terra ainda me dá vontade de chorar, faz-me lembrar de onde sou, e faz-me questionar porque que passo tanto tempo longe de mim próprio.

Tenho saudades de tantas coisas que nem sem por onde começar...

Dance Me to the End of Love


"(...) beside the crematoria, in certain of the death camps, a string quartet was pressed into performance while this horror was going on, those were the people whose fate was this horror also. And they would be playing classical music while their fellow prisoners were being killed and burnt. So, that music, "Dance me to your beauty with a burning violin," meaning the beauty there of being the consummation of life, the end of this existence and of the passionate element in that consummation."
Leonard Cohen,  about the song