sexta-feira, 14 de maio de 2010

Mais impostos



Não me faz muita comichão pagar mais 2 ou 3 porcento de impostos todos os meses para tirar o meu país do lamaçal, a sério que não me importo. O que me chateia é irresponsabilidade com que ele é gasto pela classe dirigente. De cada vez que o governo acha por bem meter umas notas nos bolsos dos bancários e construtures civís e percebe que fez merda, não tem outra solução em ir aos bolsos da malta do costume, dando uma palmadinha nas costas dizendo "bom rapaz, desta vez vamos usar muito bem o teu dinheiro". A verdade é que não usam bem, não há medidas de corte nas despesas do estado que se vejam, e um grosso do bolo do capital cedido ao estado pelos contribuintes é colocado nas grandes empresas de construção e nos bancos, não se sabe bem a troco que quê.

Vi agora os políticos do bloco central a anunciarem na televisão que nos vão roubar mais um bocadinho, e desta vez fiquei com a nítida sensação que estavam envergonhados. Todos fizeram merda, o primeiro ministro, o ministro das finanças, o ministro das obras publicas... o governo todo.
Políticos a sentir vergonha, eis uma novidade para mim, no entanto quando questionado sobre as grandes obras públicas, Teixeira dos Santos disse que o financiamento não é proveniente do Orçamento de Estado mas de investimento privado e que "as grandes obras públicas foram sujeitas a concurso e adjudicação e o Estado já tinha assumido compromissos". E com os portugueses, ele não tinha assumido um compromisso? Aparentemente é menos gravoso falhar compromissos com todos nós do que com meia dúzia de barões da construção civil.

Não estou á espera que hajam demissões ou que os políticos assumam as responsabilidades pelos seus erros, mas espero sim que se retirem da vida política e vão fazer outra coisa menos danosa para o seu país quando acabarem a legislatura.

Sem comentários: