quinta-feira, 29 de outubro de 2009

SapoKiosk


Já está no ar desde o início desta semana o SapoKiosk, um serviço internacional que permite aceder diáriamente a milhares de capas de publicações. Foi um projecto muito interessante de se fazer, e espero que seja também interessante de usar.

Está disponível em http://www.sapokiosk.com, e também tem aplicação para iPhone. Versões para Android e Windows smartphones seguem-se dentro de pouco tempo.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Time


"Time is priceless, yet it costs us nothing.
You can do anything you want with it, but you can’t own it.
You can spend it, but you can’t keep it.
And once you’ve lost it? There’s no getting it back. It’s just…gone."

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Jogadores da bola

"Vocês aqui em portugal têm muitos programas e podem falar sobre isso. Vocês comentem o que viram."
-Ruben Micael, jogador do Nacional falando aos jornalistas sobre alegadas irregularidades no jogo.

Oh meu amigo, já não nos basta o "Dr." Alberto João Jardim estar-nos a envergonhar constantemente para vir para aqui um jogador da bola fazer o mesmo. Uma informação para ti, rapazola: isto aqui que tu dizes que é portugal, é tanto portugal como a nossa ilha. Para a próxima, se não sabes falar, fica caladinho se faz favor. Limita-te a jogar à bola, está bem?

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Afinal de contas...

... é possível vir a portugal e fazer um vídeo com piada.

Família



Por mais que já esteja habituado, afinal já são 32 anos a conviver com esta maltinha, parece que nunca aprendo... Mais uma facada nas costas que é para aprender.

Décio, o que é que achas de deitarmos os nossos nomes de família fora e inventarmos um novo, bem ao jeito brasileiro? Podemos escolher o nome que bem nos apetecesse, assim um nome composto, uma coisa bem chique tipo Côrte-Real, Champalimaud ou Espírito Santo... olha, até acho que temos relações mais amistosas com estes últimos, pelo menos emprestam-nos dinheiro :)

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Saia Justa (e asfixiante)

Porque o meu blog é um espaço livre de opinião (da minha, pelo menos), e como sou um gajo que opina sobre cenas e coisas (debita ideias difusas, como diz o anúncio), aqui vão os meus dois cêntimos sobre a ultima barbaridade cometida pela Maitê Proença:



Primeiro, devo dizer que sou... era um admirador de longa data da mulher, porque sempre me pareceu uma pessoa íntegra, inteligente, e porque pronto... a rapariga é mesmo muito gira (mó gata, em carioquêz) e apesar de já não ser própriamente jovem, ainda está aí para as voltas. A telenovela Dª Beija simplesmente marcou a minha entrada na adolescencia, e por isso também tenho que lhe tirar o chapéu.
No entanto, confesso que o meu conhecimento sobre a menina, reduzia-se a meia dúzia de entrevistas televisivas e imensas imagens guardadas da minha adolescencia, imagens em que a tipa aparece err... nua :) E como a nudez de uma rapariga bonita tem este dom de turvar opiniões, assumo publicamente a minha mea culpa.

Agora para a parte gira, a de arremessar argumentos (sólidos, quadrados, pesados e em forma de paralelipipedo):

Não conhecia o vídeo, nem sei porque é que quase 2 anos depois de ter sido gravado finalmente dá á costa na net e toda a gente se indigna com ele. Acho que não tem nada a ver sobre Brasil ou Portugal, ou como ambos se amam e se odeiam. O vídeo é de mau gosto e ponto. Se a rapariga está a querer ser engraçada, falha redondamente e só passa uma imagem ridícula de si própria ao mundo lusófono. Não tem piada e pronto. Se calhar o "Saia Justa" é um programa humorístico (confesso que não assisti nunca), mas para o ser não basta se classificar como um, é preciso ter protagonistas com piada. E nem é uma falta de humor inata do povo português (que consegui deter durante anos o vómito ao assistir o "Malucos do riso") ou a sua capacidade de fazer troça de si próprio.

O essencial a reter é o seguinte: ninguém gosta de se sentir atraiçoado. A Maitê Proença sempre gozou de imensa popularidade deste lado do atlântico, e sempre que veio cá foi recebida de braços abertos por toda a gente. Ver este vídeo foi mais como descobrir que a pessoa a quem oferecemos a nossa casa e demos o melhor de nós próprios foi a casa dos nossos vizinhos desdenhar de nós próprios, dizer que a nossa casa de banho cheira mal e que o vinho que lhe oferecemos, ainda que tenha sido o mais caro que pudemos comprar, não prestava para nada. Nem tem nada a ver com o facto de ela ser brasileira, portuguesa, italiana ou japonesa. Se o Ricardo Pereira chegasse aqui no verão e começasse a dizer mal do brasil ou dos brasileiros, num tom de troça sem qualquer graça, eu iria ficar indignado na mesma. É feio, muito feio desdenhar das pessoas que vos abrem os braços e que vos acolhem com o coração aberto. Denota uma falta de carácter atroz. Imagino como não serão as conversas dessa senhora quando não há cameras por perto, será que volta ao seu país para perpetuar a imagem de que os portugueses são burros, chamam-se todos "Joaquim" e "Manuel" e trabalham em padarias? De que as mulheres são todas feias, amargas e com pelos na cara?

Gente ignorante é preconceituosa por definição, e infelizmente uma grande fatia dos portugueses é ignorante, tal como uma grande fatia dos brasileiros o é. Ignorância leva ao medo, medo leva á mesquinhez. É verdade que há preconceitos contra os brasileiros neste país, preconceitos que me envergonham profundamente, mas que têm raízes na própria condição humana, e precisam de imenso tempo para serem contrariados, se é que algum dia o serão. Preconceito combate-se com educação, nada mais. Pessoas educadas conseguem sem esforço olhar o ser humano e não ver a cor da pele, a estatura ou o sotaque.

Mas isto não tem nada que ver com o vídeo. Ele é ofensivo e denota uma ignorância intrínseca da senhora, nada mais do que isso. Não vale a pena tornar a coisa num incidente diplomático nem aflorar ódios transnacionais que pura e simplesmente nunca existiram.

E para que não hajam dúvidas, sou um profundo admirador do Brasil, país ao qual volto sempre que tenho oportunidade. Muitos dos meus melhores amigos são brasileiros, e a minha cidade preferida no mundo é o Rio de Janeiro, onde sou sempre tão bem recebido que me sinto sempre em casa para qualquer lado onde vá. E quando chego cá, digo maravilhas dos sítios onde fui, e das pessoas que me receberam.

Post edit
Acerca disto, Nuno Markl - um rapazito que tenho em muito boa conta, que não cospe em fontes (acho eu) e comprovadamente é um gajo que tem piada - diz:
O video da Maitê Proença não chega a ser ofensivo para com os portugueses; acima de tudo parece-me razoavelmente ofensivo para com ela própria - é o mais espectacular auto-retrato de uma imbecil que já vi na vida. Ao pé dela, o tipo que pôs o número 3 ao contrário, na porta da casa de Sintra, é, provavelmente, um génio. Eu não tinha esta rapariga em má conta. Isto é raivinha contra o ex-namorado português?
Touché!