segunda-feira, 27 de julho de 2009

Vasco Granja


Foi como perder um velho amigo, alguém que me acompanhou pela infância, que me contou histórias, que me fez rir e sonhar. Aquele sorriso - com que nos dava as boas vindas ao programa, nos dias da semana á tarde, que era a hora em que podiamos ver desenhos animados - aquele sorriso com que dizia "E agora..." ao apresentar os filmes, a calma com que falava a descrever os desenhos animados, como se fosse um avô a calmamente explicar uma história... vão ficar comigo para sempre.

Um grande abraço, Vasco - a infância de várias gerações foi mais alegre por sua causa.

Sem comentários: