quarta-feira, 24 de junho de 2009

Neda Agha-Soltan


Neda Agha-Soltan 1982 – 2009


Sou português - como tal não tenho rigorosamente nada a ver com o seu regime, política e assuntos internos. Não concordo, em absoluto com a forma como os seus governantes conduzem as coisas, mas a minha opinião divergente tem o valor que tem: zero.

No entanto, não posso de todo compactuar com o massacre de civis inocentes ás mãos das milícias patrocinadas pelo estado, e com o linchamento sucessivo de cidadãos iranianos, com o único objectivo de manter o poder e o status quo.

Estou estarrecido com o vídeo da morte de Neda Agha-Soltan ás mãos das milícias Basij, nas ruas de Teerão.

http://www.youtube.com/watch?v=AC3wZIYrmsc

Não há palavras que possam descrever tamanha barbaridade, o ceifar de uma vida inocente que acaba de forma tão dramática e precoce.

Pouco podemos fazer para além de assistir estarrecidos ao desenrolar do caos e da injustiça no Irão, no entanto, no mundo actual, todos nós somos opinião pública, e a internet dá-nos uma capacidade até agora inexistente de protestar.

Por isso, vão á página de contacto do lider supremo iraniano Ali Khamenei e digam-lhes o que acham:

http://www.leader.ir/langs/en/index.php?p=letter

Mandem mails para a embaixada do Irão em Lisboa e façam lhes chegar o que pensam:

info@iranembassy.com.pt

Parabéns Zé!! :)

Nos estados unidos já terias idade para beber! :)

Infelizmente é mais um ano que passa em que não estou por perto para te ver soprar as velas, estou no entanto aqui a torçer sempre por ti, para que sejas sempre muito feliz.

És o melhor irmão do mundo, rapaz. Tenho muito orgulho em ti, e amo-te do fundo do meu coração.

Um grande abraço, tem um dia muito feliz!!!!

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Safei-me! :)

 

Abanou mas não caíu, aviãozinho bonito.

Falta os senhores da Air France me tirarem daqui, desatino franceses!!!

Preciso urgentemente de um duche.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

The lord shows himself in mysterious ways

"O que muita gente infelizmente não sabe, seja por ignorância, ou seja por obra do Satanás, é que a empresa em questão foi fundada às escondidas em 1945 por uma seita satânica nos Estados Unidos, mas apenas em 1976 se tornou pública, sendo assumida por Steve Jobs (Esteves Trabalho)."

Brilhante! Maravilhoso pedaço de delírio, dira até... hilariante!!! :) Estes fanáticos religiosos produzem literatura que luta taco a taco com os textos do pessoal das produções fictícias, diria até que faria um belo sketch dos contemporâneos...

5m para me recompor, limpar as lágrimas de tanto rir... ok... :)

Contradizendo muitos que acham que Apple é coisa do demónio aproveito para vos mostrar esta imagem que me foi mandada pelo pauleta, que é no mínimo... profética :D


Convertam-se, infieis!!! :)

iPods, iPhones, iMacs, iXboxs. A letra ‘i’, abreviatura de Inferno.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Tiananmen - 20 Anos



Á 20 anos atrás tudo parecia possível - o bloco soviético estava a entrar em colapso, o muro de berlim estava a meses de vir abaixo, a opressão do partido comunista chinês parecia ter os seus dias contados. Vivia-se um clima de optimismo como nunca mais se viu desde então. Talvez por ser uma criança na altura, e porque as crianças são naturalmente optimistas, olhava para todas estas transformações no meu mundo como uma coisa boa e natural - é normal que as coisas más terminem, e o comunismo é uma coisa má, tal como nos diz a televisão e os filmes americanos.

Nunca tive um sentimento de americanismo exacerbado em criança, apesar de gostar imenso de ver os filmes do Rambo, em que ele rebentava tudo o que fosse comunista, de uma forma que até se podia apelidar de democrática: não importa se era russo, chinês, vietnamita ou afegão - levava um balázio na mesma. A política dos americanos na altura era mais ou menos a que a famosa sequela cinematográfica descrevia. Eles viviam uma época de prosperidade e franca expansão, e a união soviética atravessava um clima de forte instabilidade económica e política, o que levou a que o equilíbrio ocidente/oriente levasse um sério golpe. Foi inevitável que o ocidente capitalista ganhasse, porque o capital era e continua a ser o elemento de poder mais influente.

Vivia-se um clima de esperança e liberdade, e um grupo de estudantes e intelectuais chineses achou que podia fazer a sua revolução tranquila, e trazer finalmente a democracia ao seu país. Á medida que a união soviética, assolada por graves crises internas deixava o seu antigo eixo se desintegrar, e países como a Roménia, a Polónia e a Alemanha de Leste caminhavam a passos largos para a democracia, assim também pensaram os chineses, e no dia 14 de Abril de 1989 invadiram a praça de Tiananmen em Pequim para chorar a morte de Hu Yaobang e exigir o fim da tirania no seu país.

Os protestos duraram várias semanas, e eu honestamente pensei que estava a assistir na televisão ao fim da opressão na china, e que o governo cederia a tamanha pressão interna e externa, já que a cobertura dos média mundiais era absoluta e a pressão internacional avassaladora.

No entanto, estávamos redondamente enganados. Como provaram tantas e tantas vezes antes disso e também depois, o poder é tão inebriante que quem o tem faz tudo para o manter, e os detentores do poder na china não iam de forma alguma deixar que algo acontecesse ao status quo.

Foi um sonho bonito, a esperança era uma constante, mas rapidamente tudo se desmoronou. Exactamente á 20 anos atrás, os tanques entraram em Tiananmen e massacraram quem a eles se opôs.

Fica a imagem do Rebelde Desconhecido que até hoje guardo na memória. Um exemplo de coragem, que reterei para toda a minha vida.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Comentários das Notícias do Sapo

Cavalheiros, começaram as hostilidades. Ao fim de longos meses em que a turminha aqui do quinto andar andou ávidamente (noite e dia, e até em algumas manhãs) a trabalhar num sistema 100% á prova de trolls, eis que o dito finalmente ficou pronto. Hoje ás 18:39 hora de Lisboa, o sistema de comentários do sapo foi novamente activo, aqui na mesa do lado, no macbook do Zé, na presença do estado-maior todo munido com as suas câmaras dos telemóveis.

E foi só esperar uns minutos até ver o povo a se insultar novamente, a se queixar da vida, de Deus e do Sócrates.

e ei-lo, o primeiro comentário do novo sistema: um cromo a se queixar de um hifen.



É bom saber que há coisas com que sempre podemos contar :)

AF447


Foi com imensa consternação que recebi ouvi a notícia do desaparecimento do F-GZCP ao largo da costa do Brasil, com 228 pessoas a bordo. Por ser uma rota que já fiz algumas vezes, e por ter imensos amigos que fazem esse mesmo voo várias vezes ao ano, pela primeira vez senti de facto que aquilo poderia ter acontecido a mim, e é terrível, é como se de repente passasse na minha cabeça o terror que aquelas pessoas devem ter sentido nos momentos finais. As minhas preces vão para as famílias dos que desapareceram.

Pouco há a acrescentar, esperemos que todos os corpos sejam resgatados e que se encontre rapidamente as caixas negras, para que se possa dar algum sentido de razão a esta tragédia, e para que possa eventualmente no futuro ter servido para evitar vários outros desastres. Porque na aviação sempre foi assim, existem sempre alguns com pouca sorte que "dão" a vida para que outros possam aprender com os seus erros, e assim dar a oportunidade a que milhões de passageiros todos os anos possam viajar com segurança no globo inteiro.

Porque uma viagem, especialmente transatlântica, significa sempre algo muito especial, ou o regresso de umas férias divertidas, ou o abrir de uma nova etapa na vida e um novo marco, é sempre mais triste pensar nas pessoas que morreram.

Não vou deixar de viajar de avião, nem tãopouco vou deixar de ir para o Rio de Janeiro sempre que tiver hipótese disso, mas há que ter sempre a devida reverência perante a natureza e pela forma como ela tem volta e meia estas maneiras de mostrar a nossa insignificância.

Descansem em paz...