terça-feira, 31 de março de 2009

A microsoft não acerta uma mesmo...

Desculpem lá, vou destilar mais um bocadinho de veneno contra a microsoft, é inevitável que isto volta e meia aconteça.

Adiante, volta e meia a microsoft sai-se com spots comerciais para colocar na televisão, ao fim ao cabo, têm que gastar o orçamento em publicidade, não é verdade?

A verdade é que os rapazolas lá da M$ nunca foram muito bons a anunciar seja lá o que fosse, talvez porque o produto deles não vale nada, ou talvez porque o público alvo a quem se dirigem seja tão básico que estas coisas passam.

Então, este é um spot reality TV style acerca de uma rapariga random chamada Lauren, a quem é dado um desafio: Comprar um laptop por menos de USD 1000. Se comprasse ficava com ele. (Desafio difícil, hein?) A microsoft é tão porreira!

Então ela vai primeiro á loja da apple (num gesto aparentemente inteligente), mas ao fim de muita pesquisa, descobre que o único modelo da apple a custar menos que 1000 dolares tem um ecrã de 13 polegadas (é miope, só pode), e vai embora.

O pormenor fantástico deste vídeo, é que no segundo 0:14 do filme, ela entra e supostamente vê os modelos que existem, e depois sai, não é? Reparem no careca que está a andar no passeio com uma máquina fotográfica ao ombro. Entre o momento da entrada dela, e o momento da saída ele anda... uns 3 metros!

Das duas uma, ou o homem anda muuuuuuito lentamente, ou ela nem passou da porta da entrada.



Resultado, a rapariga comprou um catrabuco de 17" (dificilmente... portátil) com a bosta do windows vista lá enfiado! Intelligent buying...

domingo, 29 de março de 2009

Movie night

Demasiado cansado para ir para o bairro, demasiado desperto para dormir. Achei por bem fazer de uma noite de sábado passada em casa (coisa que raramente acontece) uma noite de filmes. Já vi o "The Happening" e o "Tropical Thunder", agora estou a ver o "Le Fabuleux destin d'Amélie Poulain".

Notas:
The Happening: desilusão
Tropical Thunder: brilhante, muito divertido
Amelie: banda sonora brilhante, a miúda é bem gira

quinta-feira, 26 de março de 2009

Playboy (.pt)

Ouçam lá... mas o que é esta merda?



Parece que os americanos foram buscar o ex-director da revista tv guia que estava lá em sessenta e um para ser o director da playboy em portugal. Sim, para a década de 60 esta seria uma capa arrojada... mas feia no entanto...
... pode ser que vos esteja a dizer uma novidade, mas já não estamos na época de salazar, e a porcaria do lápis azul já deixou de existir... ah, e preto-e-branco até faz maravilhas e perdoa imensa coisa, mas nem assim se vocês conseguem.

Ora porra, não querendo dizer que a míuda é feia (e não é de todo, comprove-se aqui), com tanta gaja boa cá no burgo e vão me fazer esta treta de capa?? Santa paciência... o Hefner é que tá caquético, senão não faziam essa merda.

Desculpem lá... não tá feia, está pior que isso.

E oh Markl, eu que pensava que eras um gajo com bom gosto... onde é que te foste meter?

E tipo, não têm muito jeitinho, queriam uma ajudinha... o pessoal ali da FHM e da MaxMen costumam fazer coisinhas como deve de ser, ou então pegavam no telefone e ligam 00 55 ... o povo lá da playboy do brasil dá uma ajudinha a vocês, ok?

Dasss

Leiam no público. (So pra ter referers, não levem a mal)

Medo....



O que fazer quando o teu colega do lado tem em cima da secretária um creme "gel hidratante anti oleosidade" ?? :)

Momento nostálgico

Pensei algumas vezes antes de escrever este post... (duas para ser exacto). Acho que o explendor dos meus 31 anos já totalmente atingidos (e um pouco ultrapassados) me permite finalmente dissertar sobre... música dos anos 80.

Sim, essa época onde as mulheres se vestiam de formas tão horrorosas que a maior parte dos homens se tornou gay e começou a cantar coisas como "Do You Really Want to Hurt Me?" ou "It's a Sin". Sim meus caros, foi graças a isso que o George Michael abdicou de um fartote de moçoilas extremamente avantajadas que o queriam papar... para virar panisgas... mas enfim, muito haveria para dizer sobre essa década, mas fica para mais tarde.

A razão pela qual eu abro o tema tabú de falar sobre os anos 80 prende-se com o facto de que hoje quando cheguei ao trabalho deu-me uma repentina saudade dos tempos de criança e resolvi escrever a palavra "Alphaville" na consola do Last.fm, e fui invadido por uma torrente de músicas que me lembraram coisas já tão recalcadas como o meu triciclo vermelho, os meus legos, os carros de "cana vieira" que fazia em casa da minha avó... as calças á boca de sino e a camisola de gola alta que a minha mãe me vestia, o vídeo da Kim Wilde que passava na RTP-Madeira (oficialmente, a primeira gaja gira de que me lembro).

Entretanto, depois de tantas músicas, surgiu uma que de facto me arrepia a pele do pescoço: Souvenir dos Orchestral Manoeuvres in the Dark.



Este é o vídeo original da música, de 1981. Ignorem os primeiros 3 segundos. Ah, o link no "vídeo da Kim Wilde" é para ver, se faz favor.

Lix(o)

Spot publicitário ouvido na rádio á pouco:

"O drama do irmão de Simão Sabrosa por perder o seu filho. Veja as fotos em exclusivo na revista lux"


Não entrando no universo doente das pessoas que de facto compram este lixo para satisfazerem a sua curiosidade mórbida e a falta grotesca de vida própria... uma palavrinha aos "jornalistas" e demais entes que colaboram nesse folhetim:

Vocês são uns merdas, deviam ter vergonha na cara. Por causa de gente como vocês é que ás vezes dá raiva do ser humano. Aproveitar o sofrimento dos outros para fazer uns cobres... a sério, como é que há gente que compra isto?!?!

quarta-feira, 25 de março de 2009

Upgrade

 


Finalmente achei por bem substituir a minha tv de 23" por uma novinha, com uma quantidade de polegadas substancialmente superior... curioso que custou menos de metade do preço que a tv antiga, e é infinitamente melhor.

Ligada á minha WD TV que já estava em cima do móvel da sala pacientemente á espera, vou poder ver aqueles 300 mil filmes que tenho para ver á anos e que nunca tive tempo para o fazer. É só comprar as pipocas :)
Posted by Picasa

segunda-feira, 23 de março de 2009

Cirque du soleil - Varekai

Note to Self:

Ir ver isto.

Estreia a 15 de Maio no parque Tejo (mesmo por baixo da vasco da gama). Custa os olhos da cara para ir ver, e infelizmente vale o dinheiro gasto até o último cêntimo, o que quer dizer que lá vou ter que mandar mais dinheiro para o raio dos canadianos. O que vale é que só vêm cá a Portugal uma vez por ano, senão estava bem tramado.

Aceitam-se patrocínios e companhia

sexta-feira, 20 de março de 2009

Como o mundo deveria ser


O mundo devia ser como essa aldeias em que as pessoas estão na mesma e não acontece nada, e em que os habitantes quando questionados sobre como vão, respondem invariavelmente " olha, vai-se indo!". O mundo devia ir-se indo, entregue a esses finais de tarde, em que saídos do emprego, ficamos a consumir dry martinis e a comentar as garotas que passam. O mundo devia ser mais contemplativo, devia olhar de uma forma concupiscente para as longas pernas da secretária ao lado, devia não ter tanta pressa de chegar a casa.


Ao jeito de um "re-post", vi esta frase entre um post no blog do Alvim e achei-lhe tanta graça que resolvi colocar um excerto aqui.

quinta-feira, 19 de março de 2009

sexta-feira, 13 de março de 2009

Jon Stewart vs. Jim Cramer


O Daily Show de ontem foi de longe o que menos piada teve, mas já se adivinhava um "banho de sangue" no programa quando o comentador financeiro da CNBC Jim Cramer acedeu a vir ao Daily Show como convidado - má ideia, quem viu a entrevista de Jon Stewart com Tucker Carlson e Paul Begala no programa Crossfire em 2004 saberia dizer que o homem esgrime os argumentos dele como ninguém e destroi o adversário. Jim Cramer não estava avisado, foi no programa achando que ia ser mais uma gargalhada... lixou-se.

Em certas alturas cheguei a ter pena do Jim Cramer, mas a verdade é que ele é um de muitos dos que arrastaram o mundo para o caos financeiro em que se encontra neste momento - ele, os correctores de Down Street, os CEO's dos bancos, das financeiras e das seguradoras... e mereciam levar com algum ultraje na cara. Coube ao Jim Cramer, temos pena.

A verdade é que o Jon Stewart nesta ultima semana destruiu completamente a CNBC e a sua reputação, e mostrou o quanto os média mainstream "dormem" com os responsáveis do mundo financeiro, os que fizeram borrada, exigiram o dinheiro dos contribuintes ameaçando com um apocalíptico "SENÂO...", deixaram o mundo na miséria e saíram ricos da história... ah, e ainda culpam toda a situação nos que contrairam os empréstimos subprime e não conseguiram depois manter o empréstimo...

Ok, concordo que o Daily Show difícilmente conseguirá abalar a reputação da CNBC, ainda mais com uma rúbrica diária de vinte e tal minutos em que o essencial é fazer comédia. O que sobressai é que cada vez mais, com a internet, todos nós podemos seleccionar o que vemos, olhar para os que dizem sim e para os que dizem não e tirar as nossas próprias conclusões acerca do que vimos e ouvimos. Não mais temos que confiar única e exclusivamente no que diz o Correio da Manhã ou o Expresso. Podemos ler os dois quase simultâneamente e tirar ilações sobre qualidade jornalística de ambos. Podemos decidir acreditar no que diz o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa ou ir verificar se o que ele diz é factual e comprovado, ou se há quem diga o contrário e porquê.

É meio que uma guerra entre David e Golias onde David ganhou, e porque os pequenos raramente ganham qualquer coisa neste mundo, é de valorizar e destacar. Durante a semana, a CNBC mandou todos os canhões contra Jon Stewart e chamou ao barulho "graduados" como Martha Stewart e Meredith Vieira, numa tentativa desesperada de recuperar a sua imagem e a do seu empregado, mas não serviu de nada, a resposta quase consensual tanto da blogoesfera como dos media em geral (os que não foram envolvidos nesta guerra) é descrita perfeitamente neste título que encontrei algures na net: "Jon Stewart Wipes The Floor With Jim Cramer".

Entrevista completa aqui.

quinta-feira, 12 de março de 2009

Conjure One



Mais uma pérola descoberta á conta do last.fm.

Os Conjure One são uma banda de música electrónica canadiana liderada por Rhys Fulber (Delerium, Front Line Assembly). A sua música é uma fusão entre música electrónica e ambient com ritmos de dança (muito ao estilo dos Delerium) com uma fortíssima influência de ritmos do médio oriente.

As músicas que incluem parte vocal são interpretadas por artistas como featured guest vocalists, Sinéad O'Connor, Poe e Chemda, e dão uma mística absolutamente brilhante á musica.

A ouvir uma e outra vez, o album inteiro, principalmente as músicas interpretadas por
Chemda Khalili que tem uma voz absolutamente deliciosa.

Aconselho vivamente a quem puder que compre o álbum, aqui está o link para a amazon.

quinta-feira, 5 de março de 2009

Quem com ferros mata...


... com ferros morre.
João Bernardo "Nino" Vieira (27-04-1939 – 2-03-2009)
Mais um que não vai fazer cá falta