sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Os maiores

Andava eu ainda a brincar com os meus legos, em frente á televisão da minha sala, e via na nossa querida RTP madeira esta série estranha de ingleses loucos com muitos desenhos animados á mistura, desenhos esses que pouco entendia e que não era bem aquela coisa que eu prezava mais ver na televisão. Ainda era na altura que o grande Vasco Granja entrava no ar ás 6 da tarde a colocar aqueles desenhos animados russos, polacos e checoslovacos (sim, a checoslováquia ainda era um país), e eu pouco entendia de ambos. Só bastante mais tarde, é que fui introduzido á comédia britânica, muito por obra da fabulosa série "Alô Alô" e da série de Rowan Atkinson e de Hugh Laurie - Blackadder, que me fazia doer a barriga de tanto rir. Aos poucos fui crescendo e me tornando mais inteligente (há quem diga que não :) ) e finalmente algures entre os meus 15 e 16 anos fui redescobrir aquela que é a pedra basilar da comédia, os Monty Python. A partir daí tornei-me fã incondicional, e coleccionador ávido de todos os bocadinhos da obra deles, uns mais conhecidos, outros menos famosos, uns hilariantes de tão brilhantes que eram, outros não menos hilariantes, mas a tresandar a parvoíce (ou LSD...).

Para as gerações mais novas que foram crescendo com atrocidades tais "Malucos do riso" ou outras cujo nome nem me atrevo dizer (a bem da verdade é a única que me lembro), ouvir o nome "Monty Python" ser pronunciado deve fazer surgir um misto de 1 - "Pfff, comediantes dos anos 70, que seca pá" ou 2 - "pera aí, se calhar até é giro".

Para a malta que respondeu (2), há uma grande novidade: Eles inauguraram nestes dias o canal do youtube dos Monty Python, e está lá uma selecção enorme de sketches, tanto com cenas dos filmes como com cenas das séries de televisão. O youtube já estava inundado de vídeos deles praticamente desde que foi criado, mas agora temos videos com um som irrepreensível (algumas das piadas são difícieis de perceber ás vezes sem um som como deve de ser) e com uma imagem de alta qualidade.

Tinha que forçosamente colocar um vídeo aqui embebido no post, e depois de muita reflexão (é muito difícil escolher um sketch preferido dos Monty Python) cheguei á conclusão de que deveria colocar aqui parte do sketch musical do filme "The meaning of life" em que eles fazem uma paródia absurda com a igreja católica e com a sua irredutibilidade em aceitar meios de contracepção.

1 comentário:

António Martins disse...

We are the knights that say ni. :| ehehe