sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Alberto João Jardim

Não é primeira vez que esta personagem vem parar ao meu Blog, não será certamente a última. Não sou um fã confesso dele, pelas mais diversas razões, desde logo pela minha orientação política claramente liberal, até ao facto de ele ser conivente com a situação de neo-feudalismo em que a Madeira caíu. Sendo um madeirense "expatriado" que olha com um misto de saudade e desânimo para a minha terra, consigo de certa forma discernir a realidade da ficção do que se passa na minha ilha, e ter uma opinião pouco influenciada.

A verdade é que o homem é rude, mal educado. Absurdamente populista, envergonha os madeirenses (os que não vão ao chão da lagoa á festa do PSD) todos os verões quando se põe a beber tudo o que vê á frente e vai para o palco dizer umas barbaridades contra o poder central, concentrando nos continentais tudo o que há de podre na sociedade, conseguindo de certa forma desviar as atenções dos problemas internos, maioritariamente causados pelos próprios madeirenses, que têm uma maneira de ser um pouco estranha (um dia destes coloco um post aqui acerca disso).

Ainda assim, com tudo o que de mau tem esta caricata personagem política da nossa sociedade, há uma coisa que temos que frisar sobre ele: Defende a sua terra e o seu povo com unhas e dentes, e não tem medo do que quer que seja. Conta com a hipocrisia nata dos políticos do continente, habituados a espetar punhais nas costas uns dos outros, e com o apoio incondicional de milhões de madeirenses espalhados pelo mundo que quando se trata de "política externa" estão a mil porcento com o homem.

Relativamente á recente polémica causada pela recusa da Galp em baixar os preços dos combustíveis na Madeira quando já o tinha feito no continente entre 3 e 4 cêntimos por litro, a resposta do governo regional da Madeira foi pronta, enérgica e adequada.
Depois de pedir explicações á Galp e de ter recebido uma resposta "copy-paste" da administração daquela empresa, o governo regional atravez de despacho resolveu prontamente repor a justiça no assunto e forçar a Galp a tratar os portugueses da Madeira com o respeito que têm direito, tabelando o preço máximo de venda de combustíveis.

Como o meu chapéu e aplaudo-o de pé! Parabéns Dr. Alberto João Jardim, fez-me orgulhoso.

Quem quiser ler mais, pode ver aqui, aqui e aqui.

1 comentário:

Filipa disse...

Mai nada!
eu, pessoalmente acho que ele devia ter mais tento na língua, mas quem sou eu para criticar o Sr. Alberto João, eu...sou apenas uma emigrante revoltada por ter que vir para o estrangeiro procurar oportunidades que infelizmente não encontro no meu país! E porquê? porque passamos a vida a olhar para o lado a ver quem trabalha menos e a culpar o governo por tudo e mais alguma coisa! Não tenho preferências politicas, voto nas pessoas e não nos partidos políticos que não me dizem nada, mas cansa-me ver o povinho português sempre a lamuriar-se e não fazer nada para sair desse ram-ram... Culpo as pessoas em geral e tenho a humildade de me incluir nesse grupo e dar a mão à palmatoria para admitir e dizer: estamos mal, mas a culpa é nossa!