sábado, 29 de março de 2008

Portishead

Pela segunda vêz em 10 anos, não os fui ver. Quando soube do concerto já não fui a tempo de arranjar bilhetes.
Fica aqui um video, de alguém da sara que teve a amabilidade de partilhar com o resto dos portugueses que não puderam lá estar.
A voz de Beth Gibbons está tão fantástica como sempre.

sexta-feira, 28 de março de 2008

Que mundo é este em que vivemos?

Acabei de ver um filme de quinze minutos que me fez recordar algumas das cenas mais chocantes que já tive que assistir na minha vida:

- Vi milhares de pessoas a morrer em directo na televisão em 2001 quando um bando de loucos achou de atirar dois aviões contra edifícios cheios de gente inocente.

- Vi nos jornais da noite em 2004, como 191 pessoas foram bárbaramente assassinadas e outras 1755 mutiladas na estação de Atocha em Madrid, apenas a 500Km daqui.

- Vi nas notícias em 2005 imagens de londres onde 52 pessoas foram assassinadas e outras 700 feridas quando bombistas suicidas atacaram no metro e nos autocarros.

- Vi na internet aquilo que nunca deveria ter visto, as imagens de Nick Berg sendo bárbaramente executado por gente inqualificável, sem um pingo de humanidade. Essa imagem, dos ultimos segundos da vida dele ouvindo os gritos amordaçados de alguém que sabe que está prestes a morrer, e de 5 cobardes encapuçados a serrar-lhe o pescoço como se de um carneiro se tratasse... essa imagem nunca me deixou, e moldou me de certa forma o raciocínio. Acho que foi a coisa mais horrenda que já assisti na minha vida.

O filme chama-se Fitna, e pode ser visto aqui aqui. É uma curta metragem, toscamente realizada, da autoria de Geert Wilders, um deputado Holandês de (extrema?) direita. Não quer ser um blockbuster, não é para ganhar dinheiro ou para atingir fama. A ideia do filme é se calhar colocar uma questão na população mundial para a crescente radicalização de posições entre o mundo islâmico e o resto do mundo, principalmente em relação á europa e mais concretamente ao país de onde o autor é natural, a Holanda. Mesmo sabendo quais são as opiniões políticas do autor e não concordando com elas, há coisas que não são do foro político mas sim do foro humano, e nesse sentido assusta-me pensar em que mundo é este que eu vivo, que gente é esta?!?

Eu sou um optimista por natureza, quero... aliás, preciso acreditar que a humanidade é boa na sua essência. Por isso não consigo pactuar com a generalização, com a radicalização do pensamento anti-islâmico, mas...

... a verdade é que alguns de vós estão a nos matar, olham para nós como "macacos e porcos" e não têm qualquer pingo de remorço quando pegam numa espada e nos cortam a cabeça fora, aliás, vêem-o como um gesto sagrado...

... por isso, cabe a vós, mostrar ao resto do mundo que são evoluídos, humanos, sensatos e empáticos na vossa essência...

... caso contrário, temo que os próximos temos serão de uma cisão profunda entre os nossos mundos.

O mundo "não-muçulmano" (dificilmente poderemos colocar a palavra ocidental para caracterizá-lo nesta situação) tem sabido (pelo menos tentado) isolar os seus demónios, tirar-lhes a chama, para impedir que maltratem as pessoas. Nós temos desde 1945 tentado a todo o custo castrar os novos pequenos hitlers para que nunca mais e em nenhuma altura se repitam os acontecimentos de á quase 70 anos. O que é que vocês estão a fazer? Foi á quase 90 anos que Atatürk pegou num país dilacerado pela guerra e tornou-o num exemplo para o mundo. O que é que têm feito desde então para garantir que passamos melhor por esta vida efémera e deixamos algo de bom para os nossos filhos?

Tempos turbulentos se avizinham, e acho que todos nós temos que tentar evitar a catastrofe que se vê no horizonte.

E não, o mal não prevalecerá, a história provou-o vezes sem conta.

Duas ideias acerca do autor do filme:

- Quão genial é a ideia de colocar no final do filme uma informação sobre o site oficial como sendo en.wikipedia.org/wiki/fitna ? Por mais que a horda dos paninhos quentes tente abafar a coisa, a comunidade do wikipedia terá sempre a obrigação visceral de manter um artigo exacto e neutro sobre o filme, garantindo a sua divulgação.

- Admiro a sua coragem, fazer o que fez foi o equivalente a pintar um alvo na testa. O seu nome está a partir de hoje em toda a hit-list dos maluquinhos da jihad. Mais do que tudo, vamos ver até que ponto é que o mundo muçulmano vai mostrar a sua face evoluída, não o tentando matar.

segunda-feira, 24 de março de 2008

Este País Não é Para Velhos


Não é fácil falar sobre este filme, tem tanto de bom como de mau, mas é um filme peculiar, e logo por aí, merece ser visto. É um filme para quem está atento aos pequenos pormenores, para quem consegue olhar para além do obvio e extraír das cenas os bocados de historia que os irmãos Cohen nos passam por baixo do balcão.
Como elementos positivos, há que destacar a interpretação absolutamente fabulosa de Javier Bardem. Como elementos negativos, a parte de o filme ser um bocado psicadélico demais e a total ausência de música. Fez de certa forma lembrar o Death Proof do Tarantino, não sei bem porquê.

Não é dos melhores filmes que já vi, mas merece ser revisto, definitivamente.

sexta-feira, 21 de março de 2008

Pobres ignorantes


Como se fosse novidade para nós, Osama Bin Laden ameaçou hoje a europa com "castigos graves" pela republicação das caricaturas de Maomé pelos dinamarqueses e restantes europeus. Definitivamente o homem não se cala. Vão fazer o quê? Bombardear os nossos combóios? Os nossos autocarros? Os nossos metros? Ainda não percebem que não é assim que vão chegar a lado nenhum?

Tal como o o Juan Carlos disse ao Chavez:

Oh Osama, ¿Por qué no te callas?

terça-feira, 18 de março de 2008

Trabalho giro

Já não me lembrava do quanto era divertido programar, a sério! Desde que comecei a trabalhar que tenho notado que o interesse do trabalho é normalmente inversamente proporcional ao ordenado que me pagam. Entre tanto projectozinho chato, volta e meia há um que se destaca, como o portal do dicionario Houaiss no sapo (que nunca chegou a ir para o ar por decisão do pessoal lá de cima) e que deu pano para mangas para a palestra que eu dei no brasil á uns tempos atrás. Enfim, depois de uma coisa gira, lá vem uma imensidão de coisas chata, repetitivas e morosas. Ou é cortar HTML aos bocados e fazer componentes mason com interfaces com bases de dados, ou é implementações de CMS com personalizações de PHP (hugh!!), ou pior, trabalhar com o bricolage ou com o cyclops... enfim, trabalhozinho chato.

Mas a razão deste post, não está nas coisas más, mas sim nas coisas boas. Nestes dias voltou a alegria ao meu trabalho, ando a trabalhar em catalyst, que sem ser exagerado, é qualquer coisa de sublime! Á muito tempo que eu não me sentia tão bem a trabalhar, ou saía voluntáriamente do escritório á uma da manhã porque a coisa até estáva a correr bem e não queria deixar para amanhã.

Tou estourado, mas estou contente :)

quarta-feira, 12 de março de 2008

Hello Kitty M-16 Assault Rifle



De repente estou a me lembrar de algumas meninas que eu conheço que iam querer comprar um brinquedo destes :)

Já decidi!

É aqui que eu quero morar :)

terça-feira, 11 de março de 2008

A rota da seda

À muitos anos atrás, quando o único canal possível de ser visto na minha terra era a infame RTP-Madeira, havia um programa que eu costumava ver, dava ao sábado á tarde, se não me engano. Chamava-se "A rota da seda", e mostrava cenários fabulosos de civilizações perdidas no tempo, ao longo da estrada que ligava o ocidente ao oriente.

O download desta música é gratuito e pode ser efectuado aqui. Vale a pena, a melodia é absolutamente deliciosa.



Já não me lembrava desse programa de televisão á uns bons 20 anos, até que agora mesmo, ao ouvir o last.fm começou a tocar a banda sonora desse programa de televisão. Chama-se "Silk road" e pertence ao um compositor japonês chamado Kitarō.

De repente senti-me criança outravez :)

segunda-feira, 10 de março de 2008

Meu pobre benfica

António Lobo Antunes, numa entrevista para a revista Visão, que recordo ter lido aqui á uns anos, dizia o seguinte a certa altura quando questionado sobre a sua presença na guerra do ultramar:

«Visão: Ainda sonha com a guerra?

António Lobo Antunes: (...) Apesar de tudo, penso que guardávamos uma parte sã que nos permitia continuar a funcionar. Os que não conseguiam são aqueles que, agora, aparecem nas consultas. Ao mesmo tempo havia coisas extraordinárias. Quando o Benfica jogava, punhamos os altifalantes virados para a mata e, assim, não havia ataques.

V: Parava a guerra?

ALA: Parava a guerra. Até o MPLA era do Benfica. Era uma sensação ainda mais estranha porque não faz sentido estarmos zangados com pessoas que são do mesmo clube que nós. O Benfica foi, de facto, o melhor protector da guerra. E nada disto acontecia com os jogos do Porto e do Sporting, coisa que aborrecia o capitão e alguns alferes mais bem nascidos. Eu até percebo que se dispare contra um sócio do Porto, mas agora contra um do Benfica?

V: Não vou pôr isso na entrevista...

ALA: Pode pôr. Pode pôr. Faz algum sentido dar um tiro num sócio do Benfica?»


Para uma criança de hoje, que sentido fazem estas palavras? Acho que rigorosamente nenhum. Olham para a televisão e vêm 11 tipos vestidos de vermelho com ordenados faraónicos a trocarem a medo a bola de uns para os outros, jogando paupérrimamente e exigindo tudo e mais alguma coisa.
Eu não sou do tempo do Chalana, nem do Torres, nem do Eusébio. Lembro-me quando era pequenino de me contarem as glórias dos anos 60 e 70, jogadas geniais, goleadas épicas, taças dos campeões europeus ganhas com brilhantismo.
Eu sou do tempo em que levamos 7 do sporting (nunca me vou esquecer desse dia), da taça dos campeões perdida para o PSV em 1988 (Veloso, ainda hoje estás a pagar por isso, o teu filho virou lagarto!) e da outra perdida para o Milão em 1990.
Quando eu era pequeno, o meu benfica não fazia os brilharetes do tempo dos meus pais, não ganhava 4 campeonatos de uma assentada, não goleava sem misericórdia os pobres adversários, mas ia á guerra, metia respeito. Podia não ganhar a liga dos campeões, mas chegava á final e ponha o adversário com medo.

O benfica do tempo dos meus pais, era o orgulho de uma nação, num país pobre, analfabeto, esfomeado e "orgulhosamente só", ter uma equipa que ia a santiago bernabéu dar uma coça no Real Madrid ou ao estádio olímpico de turin humilhar a Juventus, era a única coisa que podia trazer alguma alegria para a pobre pátria com os relatos na rádio da tasca da esquina dando conta dos golos que o eusébio marcava por essa europa fora, ou as pálidas imagens a preto e branco emitidas por uma jovem RTP que ainda á poucos anos tinha colocado portugal no século XX.

Neste contexto, a entrevista com o António Lobo Antunes faz todo o sentido, mas para as crianças de hoje em dia, cujos pais viram última vez o benfica a fazer alguma coisa em 1990, esta história é perfeitamente ridícula.

Não sei quanto é que ganhava o Eusébio em 1962 quando despachamos os espanhóis por 5-3, mas de certeza absoluta que não eram fortunas como esta maltinha anda a ganhar hoje.

Hoje, ir ao estádio do meu benfica é uma profissão de fé, faz lembrar os tempos do Caniggia. É turtuoso vê-los a jogar, o que parece é que lhes obrigam a estar ali durante 90 minutos, para poderem ir depois á tesouraria levantar o cheque. Não há respeito pelas pessoas que ficam ali a torçer incondicionalmente para que aqueles 11 façam um golo.

Ser adepto de futebol é uma coisa perfeitamente irracional. Sofremos, gritamos, temos quase ataques cardíacos por causa de 11 homens que andam para ali a correr num campo relvado e a chutar uma bola. Não faz sentido nenhum, mas quando a nossa equipa ganha, é uma alegria imensa, o pobre torna-se rico, o esfomeado torna-se farto, o chato torna-se alegre.
Mas é possível deixar de gostar de futebol, eu tenho nos ultimos anos submetido a mim mesmo a uma desfutebolização á força, e tenho conseguido, a ponto de uma derrota já não ter qualquer significado, é apenas mais uma para a já extensa colecção do meu outrora "Glorioso".
O meu clube foi o clube da minha infancia, não é aquele colectivo de artistas da bola que anda por lá agora.

PS. Rui Costa, continuas a ser o maior!

domingo, 9 de março de 2008

iPhone SDK


Não foi em fevereiro como previsto, mas o atraso não foi assim tanto, só 8 dias (O pessoal que faz os roadmaps da microsoft devia aprender qualquer coisinha com a apple).

O SDK do iPhone já está disponível em versão beta, finalmente posso começar a brincar a sério com o iPod touch.

PS: 3 Vivas á linha ADSL da clix! 863 Kb/s, nada mau hein? :)

sexta-feira, 7 de março de 2008

Idiotas... II

Fui pela primeira vez na minha vida ao site do partido comunista português hoje, indicado por uma notícia no jornal Público que afirmava o seguinte:
São folhas de um amarelo envelhecido, com vincos que acusam o manuseamento excessivo: os 558 números do Avante! que o PCP distribuiu na clandestinidade, entre 1931 e 1974, estão disponíveis para consulta na Internet, em www.pcp.pt
Eu pensei: bem, que iniciativa engraçada, o PCP lá anda a reviver os tempos de glória em que andava na clandestinidade a lutar contra a opressão do estado novo, ou como diria o nosso primeiro:
eh pá, porreiro!
e lá fui ao dito site, ver o que os velhotes comunistas andavam a fazer.

Layout giro, vermelho vivo predominante, como manda o protocolo, navegação simples e fácil, videos embebidos na página principal (imagine-se!!) com o orgulhoso "camarada" Jerónimo de Sousa dirigindo-se a uma plateia de jovens empunhando bandeiras com foices e martelos, numa "torrente vermelha" como o próprio diz.
Eh pá, parece que os velhotes lá em mértola lá arranjaram maneira de se entreter, estou agora mesmo a imaginá-los á porta de um tasco no profundo alentejo, com os seus computadores portáteis, ligados á internet pelo wifi do café a publicarem com afinco os seus artigos no "portal" do PCP, eh pá, que evoluidos que eles estão, hein? orgulho... espera... não... ok, continuam naquela parvoíce crónica em que mergulharam depois do 25 de abril.
Pah!!!... Com todo o respeito que eu tenho pelas pessoas de idade... (Só podem ser velhotes teimosos e decrépitos, para a andarem a dizer estas coisas e a publicar estes artigos)... O partido comunista português apoia oficialmente as FARC? Queres ver que ainda mandam uns eurozitos de vez em quando para eles lá continuarem a sua "luta armada pela liberdade"? Será que estes velhos perderam toda a noção de integridade?
Difícilmente os combatentes das FARC necessitarão do apoio do PCP, ideológico ou monetário. Difícilmente até necessitarão dos 300 milhões de dolares que o Hugo Chavez lhes mandou para chatearem o governo colombiano.
Acho que o tráfico de droga, a lavagem de dinheiro, o assassínio contratado, a extorsão do seu próprio povo, o roubo e o sequestro de pessoas serve muito bem para financiar a luta armada destes meninos, não acham?
Então lá o Raúl Reyes foi morto... bem, olhem para a minha cara de tristeza, um segundo enquanto me recomponho... ... ... ok, já está.
Mataram um dos principais líderes de um grupo terrorista que rapta, mata e viola indiscriminadamente sob a égide da bandeira vermelha. Acho que é um dia bom para o mundo, menos um que por cá anda a tornar as coisas piores. Ainda que para o lugar dele apareçam mais 5 ou 6, se calhar ainda mais loucos e sanguinários, pelo menos este por cá já não anda.

E, velhos rezingões do PCP, vejam lá se tomam juízo. Um assassino louco vestido de vermelho e munido de AK-47 não é menos assassino ou menos louco do que um que conduz um caddillac e mata gente com uma Colt .45.

á 60 anos atrás, na união soviética, eu seria preso, turturado e morto. Toda a minha família, ascendentes e descendentes, cairia em desgraça. Apenas por dizer estas coisas.

Felizmente já não estamos nesses tempos, e os velhotes decrépitos do PCP não passam disso, e não vão muito longe.

Estou curioso... será que o partido comunista português também apoiou o Khmer Rouge e os seus quase 2,000,000 de mortos nos anos 70? Eles eram de inspiração comunista, e certamente matavam com AK-47's, e com balas fabricadas no bloco soviético, contribuindo de sobremaneira para o financiamento dos ideiais!

quinta-feira, 6 de março de 2008

terça-feira, 4 de março de 2008

Idiotas...

Este é um pequeno extrato de uma conversa de balneário de ginásio, num grupo de 7 ou 8 gajos onde dois pacóvios se destacam (por serem umas bestas e por falarem mais do que os outros). Eram eles os "lideres" entre um grupo daqueles anormais que se riem porque é fixe.
Isto passou-se ás 21:30 quando o pessoal se vestia para ir embora.

- Ehh pá, o ferguson acho que vai ter mesmo que rapar o cabelo.
- Hã? Então porquê??
- Então o gajo não apostou que rapava o cabelo se o ronaldo marcasse não sei quantos golos?!
- Ahhh, o ferguson vai mandar mas é o gaijo pó car***o, o homem é que fez o ronaldo, tirou-o lá do gueto, da ilha!
- Ahahaha, quando chegou á inglaterra nem sabia falar, nem sabia dizer "Português", dizia "Pourtughuêz", ahahhaahahah!
- Tinha os dentes tortos e tudo, ahahah, que anormal.
- O gajo nem tem fintas direitas, tá sempre a passar por cima da bola, só sabe fintar com a bola a correr, eu curto é o Messi, esse sim, sabe fintar!
- Tá no milão, não é?
- Não, está no barcelona!! Esse é que é grande jogador!
- Pois...
- E o ronaldo só quer é putas, rebenta o dinheiro todo em putas.
- Se eu tivesse o dinheiro que ele tem também comia as putas todas que eu quisesse!
- Se eu tivesse o dinheiro que ele tem não precisava de putas para nada, escolhia a mulher que me apetecesse!
- Pois...
- Chegava alí á BBC e dizia "tu, anda comigo ao carro"!
(Os idiotas todos em coro) - Ahahahahahhahahahah!

---------------

Eu já estava a ficar meio verde com aquela conversa do madeirense do gueto que não sabe falar, até já tinha aqui um discurso bem inflamado para colocar aqui mas decidi não o fazer. Porque eu gosto de Lisboa, é uma cidade maravilhosa. Pena que há tanto idiota nesta terra.
Cheguei á conclusão que é mesmo bom que as viagens para a madeira sejam caras. Eles que vão lá para londres e paris na easyjet perpetuar a má fama dos portugueses e deixem-nos em paz.

Bem haja!

segunda-feira, 3 de março de 2008

Oh porra!

Esta aproximação falhada absolutamente ninja (tire-se o chapéu ao comandante) com vento cruzado foi gravada a meio da tempestade "Emma" em munique no último sábado. A tempestade, que gerou ventos de até 190 km/h e chegou ao grau 3 na escala de furacões, assolou a europa central nos ultimos dias e gerou caos nos aeroportos de Berlim, Frankfurt, Munique e Amsterdão.




Eu pensava que este hábito de dar nomes a furacões era só coisa dos nossos amigos no outro lado do atlântico. Alguém quer mais provas que andamos mesmo a dar cabo do nosso planeta?!? Furacões na europa... quem diria.

Benditas empregadas

Eu confesso, não sou um bom dono de casa. Admito a minha culpa e aceito que apontem as minhas falhas. Não tenho jeitinho nenhum para por a minha casa como deve de ser, e quando tenho que receber alguém aqui na mansão, fico horas e horas a tentar dar um jeito nisto e o que consigo atingir é um estado de habitabilidade aceitável, que dura muito pouco tempo.
Pior do que isso, odeio aspirar, odeio limpar o pó, não tenho jeito nenhum para dobrar coisas, e não faço a menor ideia de onde as guardar depois de dobradas (se bem que a ultima aquisição - uma cómoda do ikea - deu um progresso considerável nessa questão), e esqueço-me sempre de sitios para limpar, que acabam por ter que ser disfarçados com qualquer coisa a tapar. Para além do mais, acho que o meu tempo é melhor empregue a fazer outras coisas, como dormir, como passear, como estar com os meus amigos.

É por isso com muita alegria que eu consegui que a empregada da Beatriz se deslocasse ao meu tasco e desse ordem nisto, e ficou um espetáculo! Não só conseguiu fazer com que a minha sala parecesse maior (sem a tralha toda que tinha), como atenuou o desejo ardente que tenho em me mudar para o pé da praia.

A sala ficou assim:


Anda assim, se alguém tiver um apartamento para arrendar, entre carcavelos e são joão do estoril, que tenha uma vista para o mar, diga-me qualquer coisa :)

sábado, 1 de março de 2008

Recorde negativo


Passou-se fevereiro e só coloquei 2 posts, nenhum deles alguma coisa de jeito. A minha vida anda agitada, pouco tempo tenho para me sentar ao computador e fazer alguma coisa do âmbito pessoal. Passo o dia sim ao computador mas a fazer outras coisas, a pôr o meu patrão a ganhar dinheiro.

São 4:30 da manhã e acabei de por a casa minimamente decente para a empregada poder vir cá amanhã, tal era o estado caótico do meu apartamento...

Um dia destes coloco alguma coisa de jeito no meu blog.

Updates: Parece que o cloverfield é uma bosta, não sei se vou ver. Viagem do ano: India ou Japão... vamos ver.